Guarda o teu coração

@Christine Caine
Guard Your Heart

In order to run our race and finish our course, we need to understand that God has an appointed time that is usually different to our due date, and secondly we MUST GUARD OUR HEARTS!
One of the greatest challenges that we have is to keep our hearts pure and uncluttered from toxic emotions that can sabotage our destiny.
Proverbs 4:23 reminds us to “keep your heart with all diligence, for out of it spring the issues of life.”
Quite a sobering thought, isn’t it? ALL of our issues flow from our heart and instead of blaming everyone else or our external circumstances for the situation we are in, we need to look within and examine our own hearts.
If we can learn to take personal responsibility for the condition of our heart, then we will inevitably last longer. A regular spiritual heart check up should be something we submit ourselves to in order to avoid a spiritual heart attack.
Things like offense, unforgiveness, bitterness, lust, greed, envy, guile, anger, and indifference will clog up your spiritual arteries and eventually your heart will no longer beat for what God’s heart beats for.
A toxic heart will end up poisoning you. It will take you out of the race before the devil or any other person does.
Develop the habit of working on your own heart daily. Allow God to heal your wounded heart and tend diligently to its condition. Keep a soft heart towards God and an open heart to people.

Termina uma semana…

Terminou uma semana… ao chegar ao escritório da UB nesta manhã pego na Bíblia e à minha mente vem novamente este texto bíblico: 

Melhor é a boa fama do que o melhor unguento, e o dia da morte, do que o dia do nascimento de alguém. Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque ali se vê o fim de todos os homens; e os vivos o aplicam ao seu coração. Melhor é a tristeza do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração. O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos, na casa da alegria.” (Eclesiastes 7:1-4 ARC)

Uma semana passou com um misto de emoções, na verdade olho para trás e revisito o “album de fotografias” (para quem ontem esteve na IBE), e recordo dois homens de Deus.

O sorriso do querido Pr. Eliel, e a sua contagiante alegria. Continuo a orar pelo Tiago, Lucas e a querida Lina, que exemplo de fidelidade.

Por outro lado, o Pr. João António Marques, que durante 5,6 anos foi o meu pastor na 2ª IB Lisboa, que partiu após doença prolongada. Pastor, Plantador de Igrejas, Missionário, Escritor, Orador… sei lá!!! Mas recordo com saudade as lições de EBD aos domingos e a sua capacidade de expor a Palavra, não exagero se disser que esta talvez tenha sido a forma como mais me marcou na minha caminhada.

Misto de sentimentos e emoções… 

Mas iniciamos a semana com a certeza de que Jesus caminha ao nosso lado, o meu Deus não está ausente, longe. Mas bem perto!!! O meu desejo é continuar nesta caminhada de parceria com Jesus! 

9 dias nos EUA

Depois de cerca de semana e meia na Conferência de Ministérios Desportivos eis-me de volta a casa, com saudades dos filhotes e da esposa.

Um tempo inspirador em Orlando com cerca de 550 delegados de mais de 130 países… uma bela expressão do Reino de Deus espalhado pelos 4 cantos do mundo.

Desde missionários, atletas profissionais, treinadores e pessoas ligadas ao desporto, foi relevante perceber que podemos partilhar o evangelho através da linguagem universal do desporto.

Dois pensamentos que me ficaram:

Deus colocou-nos nos balneários do mundo. E como igreja, teremos de apresentar o evangelho estrategicamente, e de forma relevante dentro do balneário e depois expor o mesmo nos campos de jogo onde estamos.

A igreja esqueceu que a sua tarefa e única prioridade é estar no campo de jogo, e tem estado confinada ao balneário. Precisamos de igrejas que saiam e joguem o jogo..! Igrejas missionais, relacionais e incarnacionais. Do balneário para o campo.

a SUA morte, a MINHA vida

As reuniões de oração foram desafiantes, Deus colocou-me um compromisso de orar por três países, cada um deles diferente, um o grande Canada. Os outros dois China e Marrocos países restritos, onde o evangelho não pode ser proclamado, mas onde a linguagem do desporto já é falada. 


Foi ainda um tempo de fortalecimento de amizades com o Teo, Duarte, Arménio, Bruno e com o Pedro. 

Em suma Deus é bom, muito bom. 
E… ama-te (lá diria o Carl)

Pergunta muito Pessoal…!

Vamos fazer uma pergunta muito pessoal: estamos simplesmente a buscar ser “salvos”, ou buscamos ser como Jesus? Se a nossa salvação não estiver focada no objectivo de sermos semelhantes a Cristo, cairemos rapidamente nas obras mortas e enganos vazios. A nossa salvação é uma pessoa: Senhor Jesus Cristo! E o facto de sermos moldados à sua imagem que nos salva e nos faz santos. 
– in O Desafio da Santidade

A MEMORIZAÇÃO DAS ESCRITURAS

from TOM ASCOL
A memorização das Escrituras parece uma tarefa desanimadora para muitos de nós. Por quê? Para alguns de nós, a memória já não é tão boa como costumava ser ou, pelo menos, como lembramos que era! “Tenho uma memória ruim” é uma expressão muito usada para nos justificarmos, quando nem mesmo tentamos memorizar a Palavra de Deus.
Outros simplesmente nunca tentaram decorar as Escrituras. Como qualquer outra tarefa que nunca foi executada, temor e incerteza podem inibir uma primeira tentativa. Outros que já superaram esse temor, ainda assim, caminham com dificuldade, sem saber por onde começar e como fazer para decorar versículos bíblicos.
Quando comecei a pregar em 1 Pedro, aos domingos pela manhã, pedi à congregação que memorizasse aquela epístola. Mesmo aqueles que têm memorizado as Escrituras durante muitos anos, nunca decoraram um livro inteiro de uma só vez. Meditar em 1 Pedro, nos domingos pela manhã, pareceu-nos uma grande oportunidade de tentarmos memorizar todo o livro. Um membro comentou: “Fico feliz que o pastor Tom não nos pediu isso quando começou a pregar em Jeremias!” Este seria um bom livro para colocarmos no topo de nossa lista de livros da Bíblia para decorar! Mas 1 Pedro tem apenas 105 versículos. Se aprendermos aproximadamente três versículos por semana, teremos memorizado o livro todo em pouco mais de oito meses. Por que devemos tentar fazer isso? Bem, a Bíblia nos oferece muitas boas razões. 
Deixe-me apresentar-lhe rapidamente três delas:
1. Memorizar a Palavra de Deus nos ajuda a viver com mais fidelidade à vida cristã
No Salmo 119, verso 11, Davi ora: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti”. Ao “guardar” a Palavra de Deus em seu coração, você estará bem equipado para lutar em sua batalha diária contra o pecado. O sábio Salomão nos fala assim: “Inclina o ouvido, e ouve as palavras dos sábios, e aplica o coração ao meu conhecimento. Porque é coisa agradável os guardares no teu coração e os aplicares todos aos teus lábios. Para que a tua confiança esteja no Senhor, quero dar-te hoje a instrução, a ti mesmo” (Pv 22.17-19). Guardar as palavras do Senhor nos ajudará a colocar nossa confiança nEle. Em outras palavras, esta disciplina nos auxiliará na luta pela fé. Isto é claramente demonstrado pelo próprio Senhor Jesus, durante as tentações no deserto, descritas em Mateus 4.1-11. Ele foi capaz de resistir aos assaltos do diabo recitando a Escritura de cor.
2. Memorizar a Escritura nos ajuda a testemunhar
Quando Pedro teve a oportunidade inesperada de pregar durante o Pentecostes, ele o fez citando versículos do Antigo Testamento (At 2). Ele não possuía um pergaminho para ler; ele precisou comunicar-se a partir daquilo que havia memorizado. Não é de admirar que Pedro tenha escrito: “Estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” (1 Pe 3.15). A Palavra de Deus é a espada do Espírito (Ef 6.17). Para empunharmos esta espada de maneira efectiva, precisamos tê-la prontamente disponível em nossa mente. A memorização das Escrituras torna isso possível.
3. Memorizar a Escritura auxilia na meditação
O Senhor nos recomenda a meditação como uma valiosa disciplina espiritual. Esta será auxiliada e encorajada, se a memorização da Escritura tornar-se habitual em nossa vida. O salmista diz: “Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia!” (Sl 119.97). Além disso, o livro de Salmos começa com estas palavras: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido” (Sl 1.1-3).
O Senhor fez uma referência semelhante para Josué, antes que ele conduzisse o povo à Terra Prometida: “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido” (Js 1.8). A probabilidade de meditarmos na Palavra de Deus será muito maior, se tivermos porções dela na memória e prontamente disponíveis em nossa mente e coração. Andy Davis é um amigo que pastoreia a Primeira Igreja Batista de Durhan, NC. Andy empenhou sua vida no esforço e encorajamento de outros, a fim de engajarem-se na tarefa de memorização de passagens extensas da Escritura. Ele contribuiu com um capítulo sobre exatamente este assunto no livro que editei, Dear Timothy (Amado Timóteo, Editora Fiel). 
A seguir, estão seus argumentos em favor da memorização de capítulos e livros inteiros da Bíblia:
1. Isto honra o testemunho que as Escrituras dão sobre si mesmas: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (2 Tm 3.16); e, “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mt 4.4). Deus não desperdiça o seu sopro, pois não há palavras supérfluas nas Escrituras. E você descobrirá que alguns de seus momentos mais poderosos de convicção, discernimento e encorajamento virão de textos inesperados da Bíblia.
2. Uma vez que boa parte da Bíblia é escrita como um fluxo de pensamento, com o autor expondo alguns pontos gerais, de argumentação lógica, memorizar a passagem inteira possibilita um entendimento maior da idéia central. Você não irá perder a floresta pelas árvores. E nem as árvores pela floresta. Todo o livro de Hebreus soará como uma única sinfonia da verdade, e cada verso individualmente na seqüência de idéias tocará suas próprias notas com uma nova claridade. Este benefício da “floresta e das árvores” [ou seja, abrangendo o todo e suas partes] também irá ajudálo a construir uma teologia bíblica completa, sem defeitos, e sistemática, ao mesmo tempo que lhe dará entendimento, capacidade para pregar e ensinar versículos, individualmente, da forma adequada.
3. Você estará menos propenso a usar versículos fora de seu contexto, como resultado da memorização de todo o livro. Um dos argumentos mais comuns usados pelas pessoas que se opõem a você em uma discussão doutrinária é: “Você está tirando isto do contexto!” Um trabalho cuidadoso no livro todo irá ajudá-lo a evitar este tipo de erro.
4. Sua alegria continuará aumentando, assim como sua reverência à miraculosa infinidade da verdade nas Escrituras, conforme você descobre novas verdades dia após dia, mês após mês. A disciplina de memorizar livros inteiros irá levá-lo a territórios nunca antes desbravados, e, uma vez que “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil…” (2 Tm 3.16), você receberá benefícios desta jornada de descobrimento.
Encorajamento para memorizar a Palavra de Deus
1. Lembre-se que o Senhor tem poder sobre sua mente. “Então, [Cristo] lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras” (Lc 24.45). Jesus operou de modo eficaz na mente de seus discípulos para que entendessem. Ele pode, do mesmo modo, operar em você, a fim de capacitá-lo a memorizar. Dedique o seu melhor. Faça um esforço sincero e ore para que Ele abençoe os seus esforços.
2. Pense nos benefícios que advém da memorização da Palavra de Deus! Quem dentre nós não desejaria ter a vida moldada mais e mais pelas Escrituras? Todo crente gostaria de ter as palavras da Bíblia em sua mente, prontas para serem incorporadas em suas conversas. Estes são dois dos benefícios da memorização das Escrituras. É claro que há muitos outros, como indicam os versos que citei anteriormente. Nós não memorizamos a Escritura com muita frequência, simplesmente porque ela não é muito importante para nós. Não gostamos de admitir, mas isso tende a ser verdade. Como ficaríamos motivados, se alguém nos oferecesse cem mil reais a cada capítulo que conseguíssemos memorizar! Você faria isso? Ao menos tentaria? Os benefícios de memorizar a palavra de Deus, como sabemos, são mais altos que qualquer quantia em dinheiro. Elabore um plano. Onde quer que você comece, para continuar memorizando versículos, é de importância vital que estabeleça um tempo a cada dia, a fim de trabalhar em versículos específicos. Ainda que sejam cinco ou dez minutos por dia, já será um bom começo. Se você puder fazer isso duas vezes por dia, seu progresso será ainda maior. Faça o possível para ser constante e trabalhar na memorização das Escrituras todos os dias. Acho bastante útil anotar os versículos em pedaços de papel ou cartão. Desse modo, posso levá-los comigo e trabalhar neles durante o dia. Reveja o que aprendeu. À medida que você decorar mais versículos, precisará adicionar algum tempo para revisar os versículos mais antigos, enquanto trabalha nos mais recentes. Muitas vezes, é no processo de revisão que emergem alguns dos mais frutíferos pensamentos para meditação.
Por fim, peça a outros que o auxiliem — orando por você e ajudando-lhe a memorizar. Uma das bênçãos de trabalharmos juntos em um livro como 1 Pedro é que podemos dar assistência um ao outro durante a nossa vida diária. Quando estiver falando ao telefone, em público, antes de uma aula ou após o almoço, peça a um amigo ou a alguém da família que confira os versículos nos quais você está trabalhando. Ofereça-se para fazer o mesmo por eles. Ore para que o Senhor faça sua Palavra permanecer no coração e na vida de seu povo e que nós nos conformemos mais à imagem de Jesus Cristo.
Obrigado pela lembrança PP

O Nosso Papel Como Administradores

Deus criou todas as coisas e manteve a posse de tudo o que Ele criou. Ele nos confiou parte de sua criação, pois fomos feitos à Sua imagem. Por isso somos administradores… administradores de tudo que Deus tem nos dado. I Cor. 4:2 diz, “Ora, além disso o que se requer dos despenseiros (administradores) é cada um deles seja encontrado fiel.”

É importante compreender o papel do administrador. O administrador não tem direitos, apenas a responsabilidade de cuidar do que pertence a alguém. Por exemplo, se você por algum motivo fosse incapacitado e eu me tornasse administrador de sua propriedade, eu não teria nenhum direito em relação a seus bens, apenas a responsabilidade de cuidar deles. Se eu decidisse violar sua confiança e gerenciasse seus bens em meu favor, eu poderia ser julgado perante as autoridades por violar sua confiança.
A importância do nosso cargo como administradores e não donos é bem clara na Palavra de Deus, pois todos os outros princípios bíblicos sobre finanças partem deste princípio. Eu e você podemos ter os títulos de propriedade de carros e casas, então em termos terrenos nós possuímos estas coisas. Mas em termos eternos, tudo o que possuímos pertence a Deus. Nós não somos proprietários, somos administradores. Nós viemos ao mundo sem possuirmos nada, e partiremos com nada. Tudo o que possuímos neste intervalo é um presente confiado pelo Senhor para administrarmos.
Você tem sido um bom administrador do que Deus lhe tem confiado? Pense em algo que você possui e tem grande valor pra você. Como você se sente ao pensar que Deus é o dono e não você? Como isso lhe afetará?
Texto retirado do currículo “Encontrando Liberdade Financeira”. Por Dick Towner

Conselhos Para Jovens Pastores

por Kevin DeYoung
“Vinte coisas que eu gostaria de saber quando eu comecei o ministério (e ainda estou aprendendo)”
1. Aproveite as oportunidades para ser ensinado por outros. Absorva o máximo de livros, palestras e palestrantes especiais nos seminários, porque logo você estará se colocando para fora tudo isso com poucas pessoas no ministério.
2. Tome cuidado ao fechar o seu coração para as pessoas.
3. Seja um pastor para toda a Igreja, não apenas parte dela (não ser apenas o campeão de um grupo).
4. Estabeleça suas prioridades na igreja bem cedo e de maneira clara. Eu sugiro: pregar, orar e pessoas.
5. Trabalhe duro para promover a comunhão espiritual profunda com seus melhores líderes (por exemplo, pessoal, presbíteros, diáconos).
6. Não tente fazer muito, muito cedo. Espere que a mudança ocorra de forma lenta. Sempre que possível, trabalhe para a mudança desejada pelo reforço positivo, ao invés de críticas.
7. Enquanto você não deve tentar mudar muito de imediato, se você é forçado a fazer uma mudança difícil, ou tomar uma postura mais firme, faça-o decisivamente.
8. Espere que pessoas saiam da igreja quando você chegar. Seja gentil quando o fizerem. Acompanhe, pergunte por que eles estão saindo, ore por elas, em seguida, siga em frente. Não deixe que algumas pessoas, no sentido contrário, determinem os planos para o resto da igreja.
9. Ser pessoal, em vez de acadêmico. A conversa geralmente é melhor do que um papel.
10. Cuidado com a tecnologia: desperdício de tempo nos pontos de energia, desperdiçando horas de distância no Facebook, ficando atolado em e-mails, fazendo todas as suas comunicações por e-mail pastoral, em vez de telefonemas ou visitas pessoais.
11. Se você é bom na administração, não foque muito nisso. Se você é ruim, tenha alguém para ajudá-lo imediatamente.
12. Planeje dias de oração.
13. Aprenda a pensar em 5 anos, 1 ano, 6 meses, e incrementos de 1 mês. Quando você começa em uma igreja que você vai sentir que está três meses atrasado com relação a todos os outros, você precisa estar seis meses à frente.
14. Guarda o seu dia de folga e não deixe que o trabalho influencie em suas noites em casa. Você vai ser infeliz e ineficaz se a sua vida tornar-se um mingau.
15. Gaste mais tempo para conhecer seu povo e menos tempo tentando descobrir a cultura de sua cidade.
16. Lembre-se: você não é a única pessoa especial na igreja. Não fique ofendido se você não for convidado para um casamento ou pedirem que um outro cara para faça o batismo. É disparate se sentir ameaçado quando os fiéis são mais próximos com outro membro da equipe ou líder leigo do que eles são com você.
17. Não ministre apenas para manter as pessoas felizes. Não seja o pastor que faz todo o aconselhamento, todo o ensino, e todas as orações porque “isso é o que as pessoas esperam” e “não quero decepcioná-los.” Você vai se queimar, abafar os dons dos outros, e manter a sua igreja menor do que precisa ser.
18. Não compare. Há dezenas de fatores que fazem uma igreja bem sucedida. Muitos deles estão fora de seu controle, notadamente, a soberania de Deus.
19. A maturidade cristã implica mais do que perspicácia teológica. Não pense que colocar o pessoal a ler Bavinck dará mais frutos, os fará fiéis, e líderes eficazes. Poderia acontecer, mas longe de ser certo..
20. Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Ore isto em sua alma, antes e após cada sermão.