2Ts.1

Alvo da igreja é estar unida a Deus e em intima comunhão com Jesus.

Ainda que perseguições e dificuldades surjam, a fé e paciência são elementos chave dados por Deus. Mesmo perante oposição o trabalho de Deus não é interrompido, não por nós, mas porque é n’Ele que o fazemos.

A oposição a Jesus e a Deus é terrível o castigo é eterno, longe da presença de Deus do seu poder e glória.

O conhecimento do julgamento final de Deus não deve desencorajar-nos, mas deve trazer um sentimento de testemunho e de oração. Afinal somos e fomos transformados pela graça de Deus, porque não, aqueles que nos perseguem? Tendo em conta esta que esta epistola assim como tantas outras foi escrita por um acérrimo perseguidor da igreja…

O nosso chamado e caminhada depende inteiramente de Deus, é Ele que nos capacita e dá forças para cumprir o Seu propósito.

A fidelidade da igreja de Tessalonica deve servir de alavanca para as nossas igrejas hoje, o avanço do Evangelho, a proclamação das boas-novas deve ser parte do nosso agir mesmo que…

Sejamos perseguidos, ou mesmo mortos, a razão, da perseverança é reconhecer que tudo o que fazemos não é esforço humano, mas divino.

1Ts.5.12-28

Paulo ilustra um belo quadro de como nós, como filhos de Deus nos devemos conduzir, um retrato de uma comunidade saudável.

O amar a Deus e amar o próximo explicado de forma muito clara.

A intimidade com Deus e uma caminhada próxima a Jesus, levam à santidade.

O cuidado, respeito e amor pelo próximo, não esquecendo a ajuda e o encorajamento, mesmo para com aqueles que lutam com dificuldades, desafios e tentações.

Nenhum de nós é perfeito, mas reconheçamos a obra que Deus está a fazer nas nossas vidas.

As nossas respostas devem ser temperadas com o bem, a não retribuição com mal, impacta e revela Jesus na nossa vida.

Isto significa que nos desafiamos mutuamente, a um viver santo.

Estamos constantemente gratos a Jesus e pela Sua obra redentora. E pela oportunidade de falar com Deus, e de O escutar.

O processo de santificação, implica discernimento, precisamos de como
cristãos, saber responder a todas as questões de vida que nos sejam endereçadas, com uma visão espiritual.

O alvo é que tenhamos em mente, o evitar o mal, porque Deus trabalha tendo em vista o nosso aperfeiçoamento. Deus está continuamente activo, tornando-nos, no que Ele planeou, e nós agradecemos o bem que Ele nos dá.

1Ts.5.1-11

Ainda que hoje vivamos rodeados de algum conforto e paz, não relaxemos, o foco deve estar no mestre, a sua volta é certa, não sejamos apanhados de surpresa.

A ânsia de data do retorno de Jesus, leva-nos a mudar atitude vivemos ansiosos, no entanto o próprio Jesus e Paulo nos advertem da importância de estar preparados e não do tempo em que isso acontecerá.

Não vale a pena especular datas, a vinda de Jesus será súbita e repentina. O que nos leva a repensar a nossa vida, entendendo que a somos peregrinos e estrangeiros aqui. O alvo é viver uma vida que agrade a Deus.

Sl.40

Ainda que estejamos em tempo de acalmia, convém não esquecer que em tempos de angustia, Deus esta ao nosso alcance.

Ainda que já tenhamos experimentado a ajuda de Deus em tempos de aflição, a próxima etapa nunca será mais fácil.

Podemos olhar para trás e ver a fidelidade de Deus, assim depositemos a nossa confiança n’Ele hoje e no futuro.

Deus não decide ajudar num dia e noutro não. Deus não muda, sempre nos escuta, ama e esta atento ao nosso clamor.

1Ts.4.13-18

A morte continua hoje a ser um conceito confuso para muitos. A morte de alguém próximo ou que amamos é a oportunidade de reavaliar se existe algo para lá da sepultura.

Para alguns a morte é final, ignorantes sobre o amor de Deus revelado em Jesus.

“Jesus então declarou-lhe: «Eu sou a ressurreição e a vida. O que crê em mim, mesmo que morra, há-de viver” (JOÃO 11:25 BPT)

Nem todos os efeitos especiais do mundo, se podem comparar ao poder sobrenatural que se manifestara na vinda de Jesus. Todos o verão, os que o esperam e os que distraídos andam.

A glória de Deus será manifestada.

As palavras de Paulo devem servir de conforto, para a momentânea separação de amigos e familiares, que amam a Jesus.

Há esperança, quando confrontados com a morte. Quando sepultamos ou cremamos alguém, a nossa fé na ressurreição é testada, a disposição física quantas vezes esta longe da imagem triunfal do retorno de Jesus, mas é aqui que mostramos a fé que Jesus ressuscitou, mas também que n’Ele todos ressuscitarão.

1Ts.4.1-12

A Palavra trás orientação e direcção sobre modo como devemos espelhar a vontade de Deus através de Jesus. O alvo é santidade.

Uma fé forte, é sinónimo de intimidade com Deus, testemunha de Jesus e abençoa outros.

Somos chamados constantemente a avaliar os nossos passos, sendo confrontados pelo Santo Espirito, o processo de santidade que Deus iniciou em nós, eleva a fasquia da nossa vida.

Ainda hoje os padrões e valores de Deus são contra-cultura, o que Deus requer de cada um de nós é simplesmente santidade.

1Ts.3.6-13

Podemos pensar que quantas vezes um email, sms são interrupções. Mas estás interrupções podem ser momentos da graça de Deus no nosso dia. 
Quantas vezes temos sido abençoados e estimulados à fé, pela vida de outros caminham na mesma jornada que nós.
A preocupação pode ser um grande estimulo à oração. O cuidado passa por nos envolvermos em oração pela família espiritual, sendo que vivemos tantas vezes alheados da realidade em que muitos cristãos vivem.
O que caracteriza os cristãos é o amor, e a expectativa da vinda de Jesus e o estabelecimento do seu Reino.

1Ts.2.17-3.5

Os relacionamentos são fundamentais, mesmo que a distância assim o obrigue, o elo que nos liga é Jesus. 
Ser família espiritual é isto mesmo, é cuidar dos que ao nosso lado caminham. Paulo ensina, uma cultura de encorajamento, mesmo que tenhamos de suportar provações por causa do Evangelho. A prestação de contas é útil, afim de evitar deslizes, e previne desvios da rota certa, assim precisamos de entender humildemente que não caminhamos sozinhos.
A oração é ferramenta sempre ao nosso alcance. O nosso conforto ou cuidado, não deve ser barreira ao avanço do Evangelho. A mensagem da ressurreição, proclama segurança em Jesus, mesmo perante oposição que tenta minar o nosso caminho, saibamos que no final Jesus é a nossa esperança e alegria.
Vocês são a nossa glória e esperança.” v.20

1Ts.2.1-16

Mesmo perante oposição, a verdade do Evangelho deve ser proclamada.

O Evangelho não deve ser “dobrado” afim de agradar a alguém, relembremos que é Deus que julga e vê o nosso coração.

O padrão de vida que nos é exigido é alto, somente com o poder de Deus, poderemos trabalhar sacrificialmente, sendo moldados por Jesus em amor, compaixão.

A proclamação deve servir de exortação e encorajamento para os que caminham connosco nesta jornada, tendo como alvo o convite para integrar o Reino.

Ainda que oposição e rumores se levantem, o arrojo deve persistir, a mensagem deve ser proclamada!

Precisámos de partilhar a mensagem e a nossa vida, o ministério cristão, é acerca de salvar pessoas da ira de Deus por causa da morte de Jesus.

1Ts.1.1-10

Reconheçamos a nossa paternidade espiritual, a graça de Deus é nos concedida através de Jesus, bem como a pertença a esta família espiritual e ao povo de Deus.

A oração é estratégia fundamental na tua vida, para venceres os obstáculos que se te opõem.

A Igreja é cuidada por Deus, é Ele que toma a iniciativa, que envia e capacita através do Espírito Santo e que enviou Jesus para a reconciliare resgatar.

Mesmo quando perseguidos não ponderemos esquecer que pertencemos a uma família maior! O cuidado que expressas por aqueles que estão perto de ti e que fazem parte da tua família espiritual, revela-se quando orar por eles e os encorajas!