Antes que você tome aquela decisão

por Mark Altrogge

Todo dia enfrentamos centenas de escolhas e decisões. Felizmente, a maioria delas não é determinante.

Devo comer as asas de frango picantes com mel ou ao estilo Cajun? Devo comprar a pasta de dente de ultra-clareamento ou o tipo que restaura as células do cérebro? Devo assistir Doomsday Preppers ou Extreme Paranormal Makeover?

No entanto, conforme o ano começa, muitos de nós enfrentamos decisões difíceis e determinantes. Sou tão grato pela incrível promessa de Deus em Salmo 32.8:

Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir; eu o aconselharei e cuidarei de você.

Essa é uma das promessas mais encorajadoras da Escritura. Eu regularmente oro “Obrigado, Pai, por ter prometido me instruir e me ensinar o caminho que devo seguir e me aconselhar cuidando de mim. Por favor, guia-me nessa decisão que estou enfrentando. Por favor, mostre-me o que fazer. Por favor, dê-me sabedoria. Obrigado, Pai, por ter prometido que o Senhor o fará”.

Primeiramente, é o próprio Deus quem nos instrui – “Eu o instruirei… o aconselharei e cuidarei de você”. Deus não delega seu conselho a um anjo ou qualquer outro. A própria fonte de sabedoria nos aconselha. Aquele que concebeu as leis da natureza, que sabe como todo o universo funciona, que conhece todas as coisas, incluindo o futuro; Aquele que nos conhece intimamente, que sabe o que é melhor para nós e nos ama tão profundamente que derramou seu Único Filho para nos comprar. É Ele quem nos instrui e nos aconselha.

Deus ensina e nos guia para a Sua própria glória. Ele quer que levemos vidas de efetividade e frutificação máxima. Ele deseja exibir Sua bondade, amabilidade, misericórdia e Seu poder transformador através de nós. Deus quer nos aconselhar mais do que nós queremos Seu conselho.

Ele nos mostra o caminho a seguir porque Ele é um Pai amoroso. Se qualquer um de meus filhos enfrentasse dificuldades e pedisse por meu conselho eu não diria a ele que descobrisse por si mesmo. Eu quero que meus filhos fiquem bem. Quero que meus filhos tenham tudo de bom. Quero que meus filhos conheçam a Deus e desfrutem dEle.  Se eu desejo essas coisas para os meus filhos, quanto mais nosso Pai celeste as deseja para nós.

Ele fala conosco pela Sua Palavra e pelo Seu Espírito. A Palavra de Deus é um baú de tesouros de sabedoria e orientação. Ela contém tudo o que precisamos saber sobre Deus e sobre como obedecê-lo. Ela é cheia da Sua vontade de capa a capa. Além disso, Deus nos enche com Seu próprio Espírito, o Conselheiro, que nos guia em toda a verdade e nos mostra o que fazer em toda situação. Deus também fala através da pregação da Sua Palavra e por livros escritos por mestres cristãos. Ele também nos guia por meio de conselheiros cristãos – nossos pais, pastores, amigos sábios e companheiros crentes.

O que você está enfrentando hoje?  Antes de tomar aquela decisão, vá até seu Pai amoroso e agradeça-o pela Sua maravilhosa promessa de ensiná-lo, guiá-lo e aconselhá-lo. Busque-o nas grandes e nas pequenas decisões. Então confie nEle e não fique aflito. Ele certamente cumprirá Sua promessa de guiá-lo em Seu momento perfeito. Se você tem que tomar uma decisão, buscou o Senhor e ainda não sabe o que fazer, apenas tome a melhor decisão que puder. Ele te guiará. Obviamente você não precisa perguntar a Deus que tipo de asinha comer. Mas eu recomendaria a asa ao estilo Cajun.

http://iprodigo.com/traducoes/antes-que-voce-tome-aquela-decisao.html

Mc.6.1-6

“Os discípulos o acompanhavam”, este é o meu desejo a cada dia, caminhar perto de Jesus em obediência à Sua Palavra. Que o meu coração não seja resistente à obra do Espírito, seja eu sensível aos “sussurros” da voz de Deus na minha vida, reconheça-o em cada simples detalhe do meu dia, e a diferença será enorme.
Não seja eu a desprezar a obra e o impacto que Jesus tem na vida de outros, mas antes grato pela Sua acção. A falta de fé e a limitada vontade humana são a causa do não reconhecimento de Jesus como Filho de Deus. Vivemos dias onde não existe percepção de quem Jesus é, e onde não há sensibilidade à Sua pessoa, o resultado pode ser apenas uma simples fascinação pela pessoa de Jesus que leva a uma vida espiritual superficial, onde não permitimos que todas as áreas da nossa vida sejam remexidas e limpas por Jesus. Reconheçamos Jesus como Senhor e Salvador, e permitamos a Sua acção na totalidade da nossa vida, vivamos uma fé viva e obediente à Palavra.

Mc.5.21-43

O cuidado de Jesus por nós, vai além da solução humana, a nós é pedido fé, a acção é de Jesus que nos encoraja ao crescimento, “Não temas, crê somente”. Um pai e uma mulher servem ainda hoje de afirmação da autoridade do Mestre e de uma fé inabalável em Jesus. Jesus não somente cura a mulher física mas também espiritualmente e ainda a reabilita socialmente ao identificar a sua fé e devolve-lhe a sua dignidade. 
Sou desafiado hoje a pensar no alcance da minha “mão”, não o toque, mas a forma como vivo a minha fé ainda que imperfeita em Jesus. Reconheço que hoje Jesus, continua a dar-me mais do que eu busco, sou “mimado” a cada instante pelo Seu amor, sou valorizado como pessoa, não pelo que eu faço, fiz ou irei fazer, mas pelo que Ele fez por mim na cruz. 
Uma fé inabalável em Cristo vence a morte, onde muitos têm uma visão física, Jesus olha de forma espiritual, Jesus continua a valorizar a menina e a honrar e nutrir a fé dos pais. Preciso de olhar para os que “dormem” à minha volta, para os que ainda esperam o toque de Jesus na Sua vida, seja eu sensível ao Espírito Santo e humilde para ser usado por Ele, fortalecendo a minha fé pessoal em Jesus, mas estando aberto ao agir de Deus através da minha vida.

Mc.5.1-20

Mesmo em circunstâncias extremas Jesus tem poder para actuar, e trazer liberdade ao homem escravizado, o que vive em meio à desordem, confusão e medo sob Satanás, mesmo aquele que é rejeitado pela sociedade é alcançado pelo amor de Jesus. Não esqueçamos este nível de batalha espiritual, Satanás reina onde Deus não reina, e ele tenta com a todo o custo manter o seu domínio sobre vidas. Duas exortações, reconheçamos a autoridade de Jesus sobre todas as coisas, e permitamos o Seu “toque” na nossa vida. Não rejeitemos Jesus, Ele deseja libertar a nossa vida de toda a influência de Satanás, restaurando a imagem de Deus no homem, para que este prossiga testemunhando das bênçãos que Deus operou na Sua vida. 
Hoje agradeço a Deus, o Seu amor infindo por mim, que ainda pecador, posso sentir o Seu cuidado, a Sua direção e prossigo humilde a cada dia desejando moldar a minha vida e o meu carácter à Sua vontade. 
 

Mc.4.35-41

Quantas vezes não sou grato pelo cuidado de Deus sobre a minha vida, constantemente vivo inquietado e sobressaltado, preciso de relembrar o exemplo de Jesus e da Sua certeza de que Deus cuida, Ele cuida nos tempos de acalmia, e quantas vezes é nestes períodos que nos esquecemos da Sua acção sobre as nossas vidas, e cuida nas tempestades repentinas e violentas. Ainda que ciente de que tempestades virão, sou apanhado e dúvida e fraqueza sobressaem, procuro por auxílio, e Jesus sempre ali bem junto a mim. Muscule eu a minha fé e exercite a dependência de Jesus e vindo as tempestades o medo não dominará, sobressairá a confiança no Mestre que pode acalmar os ventos e mares. Reconheçamos a intervenção directa de Deus nas tempestades da nossa vida, não estamos sozinhos, Jesus caminha bem ao nosso lado, “Ele importa-se connosco“, por isso saiba eu aceitar a Sua admoestação pela minha falta de fé em muitas situações. 

Mc.4.26-34

Somos desafiados hoje a semear a Palavra, confiante de que o tempo de colheita virá. Quantas vezes ficamos agastados ou desmotivados porque não vemos o resultado, o Reino é criação de Deus, é Ele que o edifica de acordo com a Sua vontade, a mim cabe continuar a semear, a convidar outros para desfrutar desta filiação, mas é Deus que detém o controlo soberano sobre o crescimento. 
Semente, algo pequeno e insignificante, que cresce e se torna grande, começo insignificante e final surpreendente, assim seria o reino. Jesus desafia-nos a não olharmos para a aparência, sou encorajado a fazer parte deste reino, a sua aparente fraqueza, contrasta com a soberania de Deus, sou relembrado hoje que o crescimento do reino não é lento, mas gradativo, a parábola é acerca do reino não da igreja!

Mc.4.21-25

O que é oculto será revelado, o ministério de Jesus a chegada do reino de Deus que até então estava oculto, era agora revelado, e de tal forma que seria visto por todos. 
A minha responsabilidade é escutar Jesus, o Seu ensino e obedecer à Sua vontade. O caminho para o entendimento passa por escutar Jesus. O desafio hoje, é escutar Jesus no meio de ruído que nos rodeia, sou estimulado a cultivar quietude e solitude, a focar a minha mente e coração em Jesus. 
Se desejo caminhar perto de Jesus, preciso de o escutar, assim procurarei a cada dia disciplinar-me e dispor-me a ouvir o Seu ensino, a Sua voz, que é manifesta e revelada através da Bíblia. 
A exortação hoje, desafia-me e leva-me a ser selectivo com aquilo que ouço e escuto, “atentai no que ouvis.” (v.23b).

Mc.4.10-20

Ler e ouvir não significa que entenda e ponha em prática, não me recordo mas alguém disse algo do gênero: “algumas pessoas ficam surpresas porque não entendem parte dos textos da Bíblia, e eu fico surpreendido por que compreendo alguns“,  o meu desafio diário é mergulhar na Palavra e perceber o que Deus me quer dizer e ensinar a cada dia através dela, conhecer a Deus implica relacionamento com a Sua Palavra, somente com um coração aberto e sensível ao Espírito poderemos compreender os seus mistérios, por isso muitos não conseguem perceber ou compreender a Palavra. Ela é revelada mediante intimidade com Jesus, mente e coração transformado, mude Deus os nossos corações endurecidos e permita que a cada momento possamos escutar a Sua doce voz.
A “semente” é a Palavra, nós semeamos a Palavra, Satanás busca destruir essa Palavra, alguns fecham a sua mente à Palavra e reagem de forma superficial, outros assumem compromisso parcial e perante dificuldades não subsistem, e voltam atrás. 
O crescimento acontece aquando do domínio de Deus sobre a nossa vida, apesar dos obstáculos e dificuldades. Ao pensar no Reino, à medida que a Palavra é plantada em todo o lugar, o seu crescimento é impedido por Satanás e por vidas dominadas por pressões internas e externas, mas, a colheita está garantida, porque é Deus que o diz. Assim, a mim cabe-me plantar e perseverar para que a minha própria vida não seja esmagada pelas pressões exercidas por Satanás. 
O alvo é produzir fruto, fazer discípulos de Jesus. 

Mc.4.1-9

Ouvi“, este é o desafio diário, escutar a voz de Jesus, aprender d’Ele e caminhar em obediência à Sua Palavra, “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.” esteja eu atento a cada instante aos sussurros do Espírito no meu coração e mente. 
O Reino de Deus está activo e presente, como servos/semeadores somos desafiados a espalhar a semente a partilhar a Boa Nova do Evangelho. Fomos convocados a proclamar que o Reino chegou, Deus concede a todos um presente que deve ser aceite ou rejeitado. A mim, que sou servo, desejo continuar a plantar a semente, a não perder as oportunidades que Deus vai colocando ao meu dispor, e humildemente, peço que me use da forma que Lhe aprouver. 

Mc.3.31-35

A diferença está em aceitar quem Jesus é ou não… 
Ser família implica relacionamento, proximidade, intimidade, chorar e rir junto, aprender, assim pertencer à “família de Jesus” tem implicações claras “fazer a vontade de Deus“. Fazer a vontade de Deus implica seguir Jesus, a cada dia viver em obediência à Sua Palavra, buscar e moldar o nosso carácter com o carácter de Cristo, viver em santidade a cada momento
– “Conhecer o coração de Deus em Jesus e o meu coração à luz de Cristo.” – Franklin Ferreira
Quantos dos nossos familiares sanguíneos, apenas ficam à porta? Uma caminhada com Jesus muda a perspectiva dos relacionamentos humanos, o foco passa a ser Cristo, os que pertencem ao reino tornam-se na “nossa família”. À minha mente vêm familiares que ainda não entenderam quem Jesus é, ou até a quem eu ainda não partilhei o Evangelho, oro por eles para que tenham um encontro com Jesus, e pela responsabilidade que me é dada de partilhar e de viver Jesus a cada dia.