Lucas 1.1-4

Para que tenhas a certeza das verdades em que foste instruído“, um discípulo tem de a cada instante fortalecer as suas convicções e arriaga-las na verdade que é Cristo. O relato é verdadeiro e transformador, mudou a caminhada de tantos ao longo dos séculos e muda hoje a minha caminhada, a Palavra é relevante e transformadora. Sou simples testemunha, almejando apenas ser fiel a cada dia, desejando ser desafiado diariamente pela Palavra e percebendo a transformação que Jesus vai operando no meu carácter, palavra e acções. Tendo o privilégio de ao longo desta caminhada ser testemunha deste amor imenso de Deus pelo homem.

Gálatas 6.11-18

O que importa é ter vida nova” (v.15), a perfeição da vida de Jesus habita já em mim. A minha salvação é assegurada por Jesus, pela Sua obediência, assim “sou perfeito n’Ele”, sou nova criatura. Almejo a cada dia renunciar a toda a confiança e dependência externa e crer somente em Jesus vivendo em santidade, amor, sob a alçada do Espírito Santo. Que as marcas que demonstro a cada dia sejam Jesus e o Seu amor.  “Quanto a mim, não quero gabar-me a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo. Com efeito, pela cruz de Cristo, o mundo está morto para mim e eu para o mundo.”

Gálatas 6.1-10

Amo a Deus por isso reconheço que nada sou e nada mereço, assim ouvidos bem abertos para escutar o que em amor me é dito para minha correcção. Que seja o amor a sobressair ao identificar-me com o sofrimento de outros. A cada dia reconheça que o que tenho e possuo não é meu é dadiva de Deus e com alegria me disponha a partilhar generosamente. Quero usar sabiamente o meu tempo a servir; a minha energia, as minhas posses e dons ao serviço do Mestre.
Não te esqueças que aquilo que semeares hoje recolheras no futuro, escolhe os teus pensamentos, acções e palavras cuidadosamente.”
– Christine Caine.

AFINAL, PARA QUE SERVE A IGREJA?

– Ed René Kivitz

A missão da Igreja ontem e hoje

#1 – Estou convencido de que, se a igreja voltasse à sua tarefa primordial de proclamar o evangelho e de converter pessoas a Cristo, ela teria um impacto muito maior nas necessidades sociais, morais e psicológicas dos homens do que qualquer outra coisa que pudesse fazer.

[Billy Grahan, Berlim, 1966]

#2 – Mas a evangelização propriamente dita é a proclamação do Cristo bíblico e histórico como Salvador e Senhor, com o intuito de persuadir as pessoas a vir a ele pessoalmente e, assim, se reconciliar com Deus.

[John Stott, Pacto de Lausanne Comentado]

#3 – Agora vejo mais claramente que não apenas as consequências da Comissão, mas a Comissão em si precisam ser entendidas no sentido de incluir a responsabilidade tanto social quanto evangelistica, para que não nos tornemos culpados de distorcer as palavras de Jesus.

[John Stott, Lausanne, 1974]

#4 – O mal não está apenas no coração humano, mas também nas estruturas sociais (…) A missão da igreja inclui tanto a proclamação do evangelho quanto sua demonstração. Precisamos, pois, evangelizar, responder a necessidades humanas imediatas e pressionar por transformações sociais.

[Weathon, 1983]

#5 – Não há dicotomia bíblica entre a palavra falada e a palavra que se faz visível na vida do povo de Deus. Os homens olharão ao escutarem, e o que eles virem deve estar em consonância com o que ouvem (…) Há tempos em que nossa comunicação pode dar-se apenas por atitudes e ações, e há outros em que a palavra falada estará só: mas precisamos repudiar como demoníaca a tentativa de meter uma cunha entre a evangelização e a preocupação social.

[René Padilla, crítica a Lausanne]

#6 – A missão histórica de Jesus somente pode ser entendida em conexão com o Reino de Deus. Sua missão aqui e agora é a manifestação do Reino como uma realidade presente em sua própria pessoa e ação, em sua pregação do evangelho e em suas obras de justiça e misericórdia.

[René Padilla. A missão da igreja à luz do Reino de Deus. Em Missão Integral. Londrina: Descoberta, 2005]

#7 – Por meio da Igreja e de suas boas obras o Reino de Deus se torna historicamente visível como uma realidade presente. As boas obras, portanto, não são um mero apêndice da missão, mas uma parte integral da manifestação presente do Reino: elas apontam para o Reino que já veio e para o Reino que está por vir.

[René Padilla. Missão Integral. Londrina: Descoberta, 2005]

#8 – O propósito primeiro das missiones ecclesiae não pode, por consequência, ser simplesmente a implantação de igrejas e a salvação de almas; pelo contrario, ele deverá ser o serviço à missio Dei, representar a Deus no e diante do mundo (…) Em sua missão, a igreja é testemunha da plenitude da promessa do reino de Deus e é partícipe da batalha contínua entre esse reinado e os poderes das trevas e do mal.

[David Bosch. Missão Transformadora. São Leopoldo: Sinodal, 2002]

Gálatas 5.13-26

Sou recordado que tudo quanto faço aos outros (pensamentos, palavras e obras) deve ter por base o amor. Assim o “amar a Deus e ao próximo” (Mateus 22.37-40), deve tornar-se uma realidade na minha vida diária. O meu comportamento e conduta deve reflectir o amor de Deus em mim. Estou consciente no entanto de que falho tropeço e caiu, quantas vezes trambolhões gigantes, sempre que deixo a intimidade com Jesus isto é certo… almejo a cada dia alterar o padrão de “carne” para um padrão “espiritual” onde Jesus seja reflexo da minha vida, acções e comportamento. Santidade, justiça e paz são características que junto a Jesus quero aperfeiçoar diariamente.

Gálatas 5.1-12

A liberdade que Jesus concede não é apenas um melhorar de vida, mas a sua amplitude precisa de ser entendida na totalidade. A liberdade em Cristo é a libertação do poder do pecado, somos sobrenaturalmente regenerados através do sacrifício de Jesus, assim o meu desejo hoje é seguir e servir a Cristo. Somos perfeitos em Cristo, mas ao olhar para mim ainda percebo áreas que precisam de ser trabalhadas e outras em que nem quero falar, nestas preciso de permitir que Jesus ai trabalhe com dor, uma caminhada diária de identificação com Jesus na Sua morte e ressurreição.

Gálatas 4.21-31

Somos filhos da não da escrava, e sim da livre“, está é a liberdade que me é concedida em Cristo e a promessa é eterna. Assim de mim é requerida obediência a Jesus, uma vida de santidade onde Ele seja o centro. Reconheço que nada do que faça (obras) são a causa da minha justificação perante Deus, a graça de Deus me alcançou por isso vivo a cada dia com coração grato e humildemente desejo caminhar ao lado de Jesus. Olho para trás e percebo as inúmeras vezes que Jesus me segurou na Sua mão, os tropeções e quedas aconteceram sou consciente disso, mas hoje continuo a assumir o compromisso diário de viver focado em Jesus.

Oração para se proteger da tentação.

Oração de Martinho Lutero

Enfrentamos três tentações ou adversários: a carne, o mundo e o diabo. Portanto, devemos orar assim:

Querido Pai, dá-nos graça de modo que tenhamos controle sobre a concupiscência da carne. Ajuda-nos a resistir a seu desejo de comer, beber e dormir além do necessário, de ficar à toa, de ser preguiçoso. Ajuda-nos através do jejum, da moderação no comer, no vestir, no dormir e no trabalhar, através da vigilância e do labor, a sujeitar a carne e a voltar-nos às boas obras.

Ajuda-nos a levar todas as suas inclinações más e lascivas, bem como todos os seus desejos e estímulos até a cruz de Cristo e ali sacrificá-los, de modo a não dar crédito a nenhum de seus encantamentos nem tampouco segui-los. Ajuda-nos no momento em que virmos uma pessoa, uma criatura ou qualquer outra imagem bela, de modo que isto não se torne uma tentação, mas uma ocasião para demonstrar um amor casto e para louvar-te pelas tuas criaturas. Ao ouvirmos doces sons e sentirmos coisas que nos agradam os sentidos, ajuda-nos a buscar não a lascívia, mas o teu louvor e honra.

Preserva-nos do pecado da avareza e do desejo pelas riquezas deste mundo. Guarda-nos, de modo a não buscarmos a honra e o poder deste mundo e nem sequer consentirmos o desejo por eles. Protege-nos, de modo que as mentiras, a aparência e as falsas promessas deste mundo não nos atraiam para seus caminhos.

Guarda-nos, para que as fraquezas e adversidades do mundo não nos levem à impaciência, à vingança, à ira ou a quaisquer outros pecados. Ajuda-nos a renunciar às mentiras e à falsidade do mundo, a suas promessas e a sua infidelidade, bem como a todo o seu mal (como já prometemos fazer no batismo), apegando-nos firmemente a esta renúncia e, assim, crescer dia a dia.

Livra-nos das sugestões do diabo, que não demos espaço ao orgulho, que não nos tornemos egoístas e que não desprezemos os outros em nome da riqueza, da posição, do poder, do conhecimento, da beleza ou de qualquer outro dom dos céus. Guarda-nos de cair no ódio ou na inveja por qualquer razão. Preserva-nos de modo que não venhamos a ceder ao desespero, a grande tentação de nossa fé, seja agora ou na hora de nossa morte.

Que tenha o teu amparo, Pai Celestial, todo aquele que se esforça e trabalha contra todas estas grandes e diversas tentações. Fortalece aqueles que ainda esperam; levanta aqueles que caíram e foram derrotados; e a todos nós dá de tua graça, para que nesta vida incerta e miserável, incessantemente cercada de inúmeros inimigos, possamos lutar com constância e com uma fé firme e destemida e, no final, ganhar a coroa que permanece para sempre.

Texto extraído do livro: Vitória Sobre a Tentação, editado por Bruce H. Wilkinson.