Isaías 11.1-16

É difícil hoje olhar para o futuro com esperança com toda a incerteza que nos rodeia, se apenas fixamos os nossos olhos no que vemos, somos estimulados pelo profeta a olhar para além do horizonte, ainda à poucos dias gozávamos da euforia no Natal, e esquecemos já a benção que é o verdadeiro Natal, o Messias o Salvador o Senhor Jesus nasceu, a esperança raiou e ao comemorarmos o primeiro Natal e a chegada de Jesus, sou relembrado da certeza da Sua segunda vinda e com esta certeza em mente olho para o futuro. Os versos 2-5 mostram o Messias que trará justiça, fidelidade e conhecimento de Deus. Assim ainda que as circunstâncias imediatas sejam de dificuldade podemos vislumbrar a glória de Deus no futuro. Está é a minha oração, ao olhar para um ano que foi difícil em que errei e cai tantas vezes, olho para o futuro e vejo o amor de Jesus derramado na minha vida e a oportunidade de aprender com os erros e continuar a caminhar ao Seu lado em fidelidade e santidade.
Querido Deus sou grato por todas as bênçãos que derramaste na minha vida, sou grato pelo Teu amor em mim.

 

Anúncios

Mateus 3.1-12

João Baptista é um personagem que me fascina e com o qual preciso de aprender, a sua humildade, a sua forma de viver simples e de não querer proeminência, de não querer o controlo ou a fama, e acima de tudo a sua forma de reconhecer Jesus como o Messias, deve ser para mim exemplo de uma vida de intimidade com Deus. A sua mensagem continua actual, o Reino chegou, o verdadeiro Natal aconteceu, a Salvação está ai, assim quero voltar-me para Jesus, segui-lo, ama-lo e caminhar com ele. O tema central da sua mensagem arrependimento, o arrependimento deve fazer parte da nossa caminhada com Deus, arrependimento significa mudar de vida, atitude, e percebo que não necessariamente numa forma negativa, ao parar de fazer isto ou aquilo, mas positiva, almejando fazer aquilo que agrada a Deus. Ao pensar nestes últimos dias onde celebramos o Natal, sou desafiado a pensar e a orar por aqueles que ainda não conhecem Jesus.

Hebreus 12.1-11; Salmo 30

Advento – semana 3 ALEGRIA
“Só dizia na minha prosperidade não vacilarei.”
“Não desprezes a correcção do Senhor e não desmaies quando fores repreendido.”
“Clamei a Ti e Tu  me salvaste.”
“O Senhor corrige a quem ama e e acoita a qualquer que recebe por filho”
“Ouve Senhor e sê o meu auxilio.”
“Tornas-te o meu pranto em folguedo, tiras-te o meu cilício e me cingiste de alegria.”
Tantas vezes tenho esquecido Deus e confiado em mim, ainda que saiba já de antemão o resultado, contudo continuo no intimo a sobrepor o meu “eu” a Jesus. Caio, tropeço o pecado é real, sou confrontado com a Palavra e percebo a minha “loucura” vacilo cada vez que não olho para Jesus. Clamo a Deus, arrependido e peço restauração, sou corrigido com dor e sofrimento, mas percebo que sou amado e precioso para Deus, assim aceito a correção, ainda que a tristeza seja hoje o estado de alma, sei que alegria virá e será real. Cansado de cometer os mesmos erros, entrego hoje a Deus tudo e auxiliado por Ele caminho, a estrada da Santidade diária com Jesus.

Lucas 1.26-45

Advento – semana 3 ALEGRIA
A história do nascimento de Jesus, está cheia de exemplos do que a vida significa para nós. Fé e generosidade superam o impossível, pobreza e perseguição revelam glória, alegria emerge da esperança. A promessa feita a Maria traz grande alegria. As palavras de Maria ecoam hoje na minha mente: “Seja feito de acordo com a Tua Palavra.” – reconheço que nem sempre tem sido assim o meu “eu” tenta o controlo, mas almejo entrega-lo a Jesus, Ele sim sabe a direção correcta para a minha vida. E certo que desfrutarei de alegria plena na Sua companhia diária.

Lucas 2.8-20; Isaías 53.1-3; Filipenses 2.1-12

Advento Semana 2 – PAZ

O Rei do céu veio à terra, este é o grande anúncio que é feito pelos anjos, não as autoridades não nos noticiários mas a uns simples pastores. Sou desafiado a cultivar a humildade, sempre que olho a Bíblia percebo a revelação de Deus a pessoas imperfeitas mas que cultivam um coração humilde. A conexão entre humildade e paz de Deus esta no centro da mensagem do evangelho. Por isso desejo cultivar um coração humilde que esteja sensível a escutar a voz de Deus e a receber a Sua paz mesmo no meio do dia a dia.

Isaías 42.1-9; Efésios 2.11-22

Advento Semana 2 – PAZ

A paz de Deus o Shalom contrasta de tal forma com a paz que o mundo afirma, assim como a noite é diferente do dia. A paz vem de Deus, não é uma possessão, não é aprovada ou imposta por uma estrutura política ou humanitária. A paz perfeita vem somente através de Jesus da sua morte e ressurreição, “Porque Deus achou por bem estar totalmente presente no seu Filho, e também, por meio dele, reconciliar consigo mesmo tudo o que existe na Terra e no Céu, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz.” Colossenses 1.19-20.
Jesus o Príncipe da Paz, restaura o relacionamento com o Pai pelo Seu sangue, acolhendo-me assim nesta nova família de Deus. Sou agora filho de Deus e não mais estrangeiro. Assim, desfrutando agora desta paz com Deus posso viver em intimidade com Jesus. Mas em Jesus tenho paz com Deus e sou agente desta paz, que tem implicações nos meus relacionamentos, comunidade, cidade e mundo. Nesta caminhada para o Natal, sou relembrado da chegada do Príncipe da Paz e da importância do Seu papel como restaurador da verdadeira paz, Ele governará o Seu Reino estabelecido. Sou desafiado a não construir o meu reino, mas apenas a viver e experimentar o Reino de Deus.

“Ele vai alargar o seu domínio e governar em paz total, sobre o trono de David e sobre o seu reino. Vai estabelecê-lo e consolidá-lo com a justiça e o direito, desde agora e para sempre. É isto mesmo o que vai realizar o Senhor do Universo, com todo o zelo. ” Isaías 9.6

20131210-090709.jpg

Malaquias 2.5,6

Advento – Semana 2 PAZ

O dicionário bíblico Holman’s define paz como: “sentimento de bem-estar e cumprimento que vem de Deus e depende da Sua presença. Ao confiarmos na soberania de Deus de que Ele é fiel e que cuida, abraçamos a paz pela fé. Esta paz foi uma realidade total para Adão e Eva no jardim antes da queda, ao viverem ali não tinham que se preocupar com o que era bom ou mau – eles confiavam em Deus exclusivamente e confiavam que Ele apenas lhes dava o que era bom e melhor. Da mesma forma que as crianças confiam nos pais, quendo pegamos neles, eles não se preocupam se vão ou não cair. Mas à medida que crescem, eles começam a ter a sua independência e a questionar os seus pais. Mesmo um filho pode ignorar as nossas instruções e considera-las meras sugestões.  Conseguem tomar a decisão e pesar a opção que lhes é dada pelo pais e a sua.  Nós nunca experimentámos este relacionamento único de confiança com Deus como Adão e Eva. Por isso nunca experimentámos a paz neste sentido. A nossa natureza e mundo caído fazem parte da nossa realidade. “É por isso que eu vos digo: Não andem preocupados com o que hão-de comer ou beber, nem com a roupa de que precisam para vestir. “Não será que a vida vale mais do que a comida e o corpo mais do que a roupa?” – Mateus 6.25 Por isso se procuramos satisfação nas coisas temporais como segurança, aparência, dinheiro, continuaremos preocupados, é por isso que Paulo nos adverte que a paz de Deus excede todo o entendimento, porque não é uma paz como o mundo a vê e idealiza.  Ao fazermos esta caminhada do Advento, somos levados a ver o que não é visto, o nascimento do nosso Salvador e o regresso do nosso Rei. Quando a nossa confiança esta em Deus a preocupação, ansiedade são por vezes reais mas temos de colocar a nossa esperança no futuro e cultivar uma intimidade com Deus em oração de forma a desfrutar desta paz.

“Darei a esta terra tempos de paz, de modo que possam dormir sem sobressaltos; afastarei dela as feras e as guerras não voltarão a passar pela vossa terra.” – Levítico 26.6

“Senhor, és tu que nos dás a paz, pois tudo quanto fazemos és tu que o levas a bom termo.” – Isaias 26.12

“O meu pacto com eles foi de vida e de paz; e isso mesmo lhes concedi, para que me respeitassem e eles respeitaram-me; para que me honrassem e eles mostraram reverência. Eles ensinavam a verdade e não a falsidade; viviam em paz e justiça comigo e afastaram muitos do caminho do mal.” – Malaquias 2.5,6

A paz depende da presença de Deus, porque Ele é a fonte da paz, a lei e os profetas testemunham esta verdade, foi por isso que eles olharam para Deus para repor a verdade e restaurar a paz no nosso mundo. A oração suprema da paz é: “Vem Senhor Jesus, vem.”