1 Coríntios 9.1-18

Renunciando os direitos que tenho” – à um alvo maior, a proclamação Evangelho é superior a qualquer dos benefícios que possamos ter. Paulo ensina-me a que a recompensa é… não ter recompensa. Pode parecer estranho, mas o privilégio de ser testemunha e anunciar o Evangelho é algo mais elevado, o deixar os benefícios pessoais é difícil, mas sou levado até aos pés de Jesus, Ele que por mim deixou a glória, veio ao mundo e pelos meus pecados morreu. Quando sou confrontado com esta imagem, percebo que viver para Deus é mais valioso do que qualquer possessão ou direito. Desejo servi-lo melhor, por isso rogo a cada dia por sabedoria e presença do Espirito para me saber conduzir. “Qual será então o meu salário? O meu salário é a satisfação de anunciar o evangelho sem exigir nada em troca, renunciando aos direitos que eu tenho.” – a minha oração do dia é deixar o que me prende ao mundo materialista e perceber o que Jesus deseja de mim e da minha família. 

 

1 Coríntios 8.1-13

Somos enquanto discípulos de Jesus exortados a pensar na forma como as nossas ações têm impacto sobre outros. Reconheço que tantas vezes as minhas ações, palavras são sem consciência de que afectam outros. Acima de tudo o amor, por isso tenho de acautelar-me e reconhecer a cada instante que sou seguidor de Jesus, isto implica que a cada dia permita que Ele molde a minha mente, coração e ações, assim poderei cuidar de não magoar ou escandalizar aqueles que comigo se cruzam na Cidade e cada dia. Ora para que a minha conduta diária seja moldada por Jesus.

Levítico 1.1-17

Adoração é algo voluntário e deve ser feito não de forma leve, repetitiva e sem alvo. Sou desafiado hoje a entregar a Deus a minha vida, a honra-lo acima de todas as coisas, e trazer um “aroma suave” ao Senhor. Ao trazer uma oferta não é somente dar, mas é acerca de manter, cultivar e desenvolver uma relação de intimidade com Deus, é um processo de dois sentidos. Sou estimulado a um compromisso diário de adoração e devoção, relembrado pelo sacrifício de Jesus em meu lugar, relembro o custo desse último sacrifício para que eu hoje possa livremente adora-lo, assim “dou” porque primeiro me foi dado.

Mateus 6.25-34

Vivemos preocupados sempre com algo, vivemos ansiosos com alguns aspectos da nossa vida, o cuidado com os que ama-mos, o estado da nossa nação, a questão financeira. No entanto Jesus desafia-nos a viver dependentes d’Ele, uma confiança em Deus, não um “feeling” ou momento, mas realmente colocar a nossa vida nas Suas mãos, confiando na Sua justiça e na Sua paz. É difícil por vezes vislumbrar o como e o quando Deus o fará a nossa fraca fé começa a duvidar, mas Deus garante que sempre teremos suficiente para o dia-a-dia (v.11). “O Senhor proverá” (Fl.4.19). Está citação veio à minha mente hoje, “Existem 3 antídotos para a nossa ansiedade, e são: agradecer a Deus constantemente por tudo o que temos; contar as bênçãos que recebemos; e ajudar outros que vivem em piores cenários do que nós.” – WordLive
“Querido Deus ajuda-me a olhar para o Teu amor e cuidado por mim, e largar nas tuas mãos a minha dependência.”

Mateus 6.16-24

Jesus vai desafiando e ensinado acerca de dar, orar e jejuar, aos pouco ele clareia a ideia de que uma vida completa só pode existir em torno de Deus, a única explicação para um espirito generoso, para uma vida de oração é termos uma única prioridade nas nossas vidas, conhecer Deus, ama-lo e fazer a Sua vontade. Sou responsável pelas decisões que tomo, por isso desejo servir a Deus, o oposto “mamon”, é o deus do materialismo do ganho do poder, a cada dia procuro viver em intimidade com aquele que me garante a vitória, Jesus. Sou hoje confrontado mais uma vez com as minhas prioridades e foco em Deus a minha atenção.
“Senhor, ajuda-me a aprender o que desejas que eu saiba e ajuda-me a tornar-me no que Tu desejas.

João 1.35-42

 “Achamos o Messias, o Cristo” – esta é a maior descoberta que qualquer pessoa pode fazer. Na verdade nós não o descobrimos é Ele que nos descobre a nós e se nós revela. Jesus busca o encontro o relacionamento com cada pessoa. Duas lições apreendo hoje do texto, o meu relacionamento com Jesus é essencial na minha vida “vinde e vede… e ficaram com Ele” , e a minha responsabilidade em apresentar Jesus aos que me rodeiam, “e levou-o a Jesus” (v.42). O verdadeiro discipulado leva ao encontro e ao encorajamento.
Jesus concede-me o desejo de Te buscar a cada dia com mais fervor, amor e fé.