Oração

Inquieta-nos, Ó Senhor, quando estivermos satisfeitos demais com nós mesmos; Quando nossos sonhos se tornarem realidade, pois sonhamos pequeno demais. Quando chegamos em segurança, por termos navegado perto demais da praia. Inquieta-nos, Ó Senhor, quando, com a abundância daquilo que possuímos, perdermos … Continuar a ler

1 Coríntios 9.1-18

Renunciando os direitos que tenho” – à um alvo maior, a proclamação Evangelho é superior a qualquer dos benefícios que possamos ter. Paulo ensina-me a que a recompensa é… não ter recompensa. Pode parecer estranho, mas o privilégio de ser testemunha e anunciar o Evangelho é algo mais elevado, o deixar os benefícios pessoais é difícil, mas sou levado até aos pés de Jesus, Ele que por mim deixou a glória, veio ao mundo e pelos meus pecados morreu. Quando sou confrontado com esta imagem, percebo que viver para Deus é mais valioso do que qualquer possessão ou direito. Desejo servi-lo melhor, por isso rogo a cada dia por sabedoria e presença do Espirito para me saber conduzir. “Qual será então o meu salário? O meu salário é a satisfação de anunciar o evangelho sem exigir nada em troca, renunciando aos direitos que eu tenho.” – a minha oração do dia é deixar o que me prende ao mundo materialista e perceber o que Jesus deseja de mim e da minha família. 

 

1 Coríntios 8.1-13

Somos enquanto discípulos de Jesus exortados a pensar na forma como as nossas ações têm impacto sobre outros. Reconheço que tantas vezes as minhas ações, palavras são sem consciência de que afectam outros. Acima de tudo o amor, por isso tenho de acautelar-me e reconhecer a cada instante que sou seguidor de Jesus, isto implica que a cada dia permita que Ele molde a minha mente, coração e ações, assim poderei cuidar de não magoar ou escandalizar aqueles que comigo se cruzam na Cidade e cada dia. Ora para que a minha conduta diária seja moldada por Jesus.

Levítico 1.1-17

Adoração é algo voluntário e deve ser feito não de forma leve, repetitiva e sem alvo. Sou desafiado hoje a entregar a Deus a minha vida, a honra-lo acima de todas as coisas, e trazer um “aroma suave” ao Senhor. Ao trazer uma oferta não é somente dar, mas é acerca de manter, cultivar e desenvolver uma relação de intimidade com Deus, é um processo de dois sentidos. Sou estimulado a um compromisso diário de adoração e devoção, relembrado pelo sacrifício de Jesus em meu lugar, relembro o custo desse último sacrifício para que eu hoje possa livremente adora-lo, assim “dou” porque primeiro me foi dado.